A blogueira

  Olá pessoal.
  É bastante complicado reservar uma parte do blog apenas para falar de mim, em geral, eu falo bastante sobre sentimentos, mas ainda assim é complicado, é complicado pois ninguém de fato se conhece, e eu passo mais da metade da minha vida resmungando pelos quatro quantos na tentativa de descobrir quem eu sou e o motivo de estar aqui.
  Mas vamos lá, eu tenho 21 anos e moro no estado de São Paulo, mas quero mesmo é me mudar para o coração da cidade, nessa selva de pedras que sempre me pareceu disposta a apoiar meus sonhos.
  Quando eu era pequena costumava viver no centro cultural da minha cidade, cresci rodeada de livros e a arte estava presente em cada pedacinho do meu corpo: Teatro, dança, contos, artes plásticas e desenho eram algumas das oficinas que com o tempo eu tive de abandonar, mas se eu fechar os olhos consigo sentir o poder e a magia que a arte ainda me proporciona, não sei em que posso acreditar, não sei de quase nada, para ser sincera. Mas sei que um dia ainda viverei daquilo que faz meu coração bater mais forte.
  Perdi o cara que eu jurava ser o amor da minha vida de uma forma que não desejo para ninguém, não superei e nem quero, aprendi que a dor precisa ser sentida para amenizar, e sofrer por aqueles que eu tanto amei e amo não me parece algo assim tão ruim, me parece necessário.
  E mesmo com tanta dor aqui no coração, sempre arranjo um tempinho para tentar ser feliz, me apaixono fácil e por isso quebro tanto a cara, ter o peito aberto para novos sentimentos o tempo todo é perigoso, mas eu escolhi correr o risco. Não sei se ainda credito em amor verdadeiro, as vezes as coisas acontecem melhor na minha imaginação, e garanto: acontece muita coisa aqui dentro de mim.
  Tenho um certo bloqueio que me impede de fazer muita coisa, de falar muita coisa, é complicado rotular mas acho que a forma mais simples é sendo bastante direta: Sou insegura. Nunca fui bonita e nem a mais inteligente, é como se tudo que eu fizesse, teria que ter sempre mais esforço do que se outra pessoa fizesse, pois comigo as coisas nunca foram fáceis, as vezes acho que é só por falta de beleza, as vezes acho que é a soma desse fator com o fato de que prefiro me esconder em meu próprio mundo do que viver no mundo lá fora.
  E bem, para resumir algo que já está grande demais, sou impulsiva, sou irônica com a maioria das pessoas, sou grossas apenas com quem merece, pois em geral, eu realmente acho que educação faz do mundo um lugar melhor, que quando espalhamos amor, temos em retorno mais amor ainda, e não estou falando apenas de paixões amorosas, estou falando sobre nos apaixonarmos pela vida mesmo, pelas cores, pelo céu, natureza, prédios ou whatever, a questão é que mesmo com tantos empecilhos, eu amo amar, e por mais que as vezes, nas noites mais sombrias e difíceis eu choro querendo não ter um coração, tenho certeza que não saberia viver sem amor. 
  E eu poderia falar muitas coisas, sobre minhas dúvidas, sobe meus encontros e desencontros, amores e desamores, sonhos e realidade, mas acho que nada do que eu falar será suficiente, mundo constantemente e a melhor forma de me conhecer é lendo o que eu escrevo aqui nesse blog.

0 comentários:

Postar um comentário

© CAPRICATI © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. DESIGN E PROGRAMAÇÃO POR DESIGNLC. imagem-logo