segunda-feira, 13 de março de 2017

Resenha - Eleanor e Park

 Título original: Eleanor e Park
 Título nacional: Eleanor e Park
 Autora: Rainbow Rowell
 Editora: Novo Século
 Número de páginas: 328

 Sinopse: Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e “grande” (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo.

 Minha opinião: Estou cada vez mais apaixonada pelos escritos de Rowell. Mas esse foi sem dúvidas o primeiro romance jovem que eu li e me encantei sem questionar. 
 A história é contada por ambos, intercalando a narração, é quase impossível escolher qual deles é mais encantador, mas se fosse pra decidir diria que a narração da Eleanor tem uma certa importância maior que a de Park, pois é ela quem desenrola a maioria dos problemas.
 Eleanor tem uma vida difícil, passou uns meses longe de casa depois de ter sido expulsa por seu padrasto, que é um machista de plantão, eles são uma família pobre, a mãe é submissa ao marido e Eleanor tem três irmãos mais novos e nenhuma privacidade. Toda essa situação gera um clima bem tenso durante toda a narrativa dela, e se apaixonar tão intensamente mesmo com tantos problemas não é algo que ela esperava, e o fato dela não saber lidar com isso deixou o livro ainda mais adorável. 
 Park tem uma família bem mais estruturada, o tipo de família exemplo, seu único problema é lidar com o pai durão que não aceita o seu estilo e seus gostos pessoais.
 O casal principal é bastante real, nenhum deles é perfeito e não tem aquele clichê de garoto popular que se apaixona pela garota esquisita logo de cara. Sim, Eleanor é um tanto peculiar, tem cabelos ruivos volumosos e se veste de maneira estranha, e Park sabe disso, e no começo não se encanta pela Eleanor, e isso que torna a história especial, o amor entre eles começou a surgir com o tempo, os dois foram se conhecendo aos poucos. 
 Poderia e gostaria de falar muito mais, pois sem dúvidas se tornou um dos meus preferidos. Mas acho que a experiencia de sofrer e torcer ao ler esse livro precisa ser vivida. Então se ainda não leram e tiverem a oportunidade, não irão se arrepender. 
Meus quotes preferidos:

 "Porque não importa pra mim, Park. Se você gostar de mim, eu juro por Deus, nada mais importa."

  "Quando tocou a mão de Eleanor, ele reconheceu. Ele soube"

  "E quando Eleanor sorriu, alguma coisa se partiu dentro dele. Isso sempre acontecia."

  " - Só me dê um beijo de Adeus. - Ela sussurrou.
     Adeus por hoje, ele pensou, não para sempre."

  "Às vezes, parecia que ela jamais poderia fazer por Park algo similar ao que ele fazia por ela. Era como se ele despejasse todo um tesouro sobre ela a cada manhã sem nem refletir sobre seu ato, sem notar quanto tudo aquilo valia."

 "Mesmo estilhaçada em milhões de pedaços, Eleanor ainda sentia o toque de Park em sua mão. Sentia o dedão dele explorando-lhe a palma."

 "Segurar a mão de Eleanor era como segurar uma borboleta. Ou um coração a bater. Como segurar algo completo, e completamente vivo"

 "Você salvou minha vida, ela tentou dizer. Não para sempre, não definitivamente. Provavelmente, só por certo tempo. Mas salvou minha vida, e agora eu sou sua. O que sou agora é seu. Para sempre."

"Ele parou de tentar trazê-la de volta. Ela só voltava quando bem entendia, em sonhos e mentiras e déjà-vus partidos. 
[...] Eleanor...Em pé, às suas costas, até que ele virasse para trás. Deitada ao seu lado segundos antes de ele acordar. Fazendo que todo o resto do mundo parecesse mais sombrio, mais superficial, e nunca bom o bastante. Eleanor acabando com tudo. Eleanor, indo embora. Ele parou de tentar trazê-la de volta."

  Estrelas para essa leitura:

segunda-feira, 6 de março de 2017

Academia: Meus motivos e primeiro dia.

 Depois de um ano totalmente parada resolvi voltar para a academia. Dessa vez tenho mais motivos para isso. Antes de tudo eu preciso dizer que só parei a academia antes por motivos de força maior, tive uma reação alérgica em uma tatuagem na perna e impedida de fazer academia por três meses, esses três meses se tornaram um ano mas agora já estou completamente apta ao voltar para o treino.
 Resolvi listar aqui os meus motivos para fazer academia, e caso você não treine, pode fazer dos meus motivos os seus também.
  • Mais saúde e mais disposição: Uma das piores coisas de parar a academia no passado foi perceber que meu corpo parou junto, comecei a perder o fôlego mais fácil e ter menos disposição. Ao fazer exercícios físicos ocorre a liberação de endorfina, aquele hormônio responsável pela sensação de prazer e bem-estar.
  • Melhorar a alimentação: Eu não sei vocês, mas se eu não estou na academia eu não consigo manter uma boa alimentação, acabo ficando a tarde vendo televisão e comendo besteiras. Já na academia eu me controlo mais e melhoro muito a minha alimentação.
  • Melhorar a autoestima: Eu não gosto muito do meu corpo no momento. Tenho mais barriga que bumbum e minhas pernas são muito magrinhas. Ter um foco ao entrar na academia é essencial, e meu foco é me sentir mais bonita com meu corpo.
  • Economizar: Calma que eu vou explicar. Esse item pode parecer contraditório, muitas pessoas optam por fazer atividades ao ar livre, caminhadas para assim poupar o dinheiro da mensalidade da academia. Mas sinceramente, esse estilo de vida não é para mim. Meu bairro não é o mais seguro, e meu tempo para a academia é durante a noite, e caminhar por aqui durante a noite me dá um pouco de medo. Exercícios em casa eu não tenho foco, eu preciso de um instrutor me ajudando e me dizendo onde estou errando/acertando. Geralmente o tempo que pretendo gatar com a academia é o mesmo que eu gastava em casa deitada no sofá comendo besteira. E eram besteiras todos os dias. Fazendo as contas de todo dinheiro gasto por mês com lanches, salgados e refrigerante eu tenho um valor maior do que o da mensalidade da academia.
  • Autoconhecimento: Estar sozinha é necessário, eu escolhi malhar em uma academia que não conheço ninguém, para poder focar em mim, em meus pensamentos. geralmente as coisas que faço sozinha são coisas que não me permitem parar e pensar, como ver séries, filmes, ler. Mas a academia é um ótimo lugar para lidar com pensamentos.
 Eu voltei a academia tem pouco tempo, mas vou relatar aqui rapidamente como me senti nesse primeiro dia. Primeiro foi o de costume, conversei na recepção e fechei o pacote anual de musculação que me permite acesso as aulas de Step, dança e spinning. Depois de pagar a taxa de inscrição e as matrículas, fui levada até a sala do professor de educação física que será meu personal para uma avaliação física e entrevista. Ele mediu meu corpo e me perguntou meus objetivos. Com isso montou um cronograma de aulas para mim. Segundo ele estou no meu peso ideal, portando não preciso me preocupar com a balança, mas sim com o espelho e com a saúde. Meu percentual de gordura está alto, sendo assim ele me indicou cortar o refrigerante e diminuir doces e frituras.
 Pelo que pesquisei ele me passou o treino que a maioria das meninas fazem, perna e glúteo em um dia, braços no outro. Não sei se vou conseguir continuar esse treino por muito tempo, apesar de saber que depois de um tempo a dor diminui. Eu sai da academia com as pernas bambas e mal conseguia andar no dia seguinte. Mas vou continuar treinando assim por pelo menos um mês e qualquer coisa converso novamente com meu instrutor. 
 Eu gostei do ambiente, as pessoas são simpáticas e os instrutores também. A música é boa, no meu primeiro dia eu levei o celular com fone de ouvido mas acabei me arrependendo um pouco, ficar com celular na mão me atrapalhou.
 Meu alongamento varia entre bicicleta, esteira e step máquina. E meu pós treino é sempre esteira e step. Confesso que no primeiro dia eu fiz somente 7 minutos de step ao invés de 15 minutos, mas é que realmente não sentia mais as minhas pernas.
 Gostei da bicicleta mas prefiro mil vezes a esteira. Ainda não corro, mas caminho rápido e é a nelhor hora.
 Sobre os outros treinos e séries, irei fazer um post especificando exatamente o que e quando faço. As aulas extras eu também não fiz, vi falarem muito bem do Spinning mas que também é um treino pesado, então vou esperar uns meses.
 Também vou esperar uns três meses para postar meus resultados, se estou vendo alguma diferença e se estou gostando.
 Por enquanto isso é tudo, até mais!

quinta-feira, 2 de março de 2017

Melhores posts de fevereiro!

 No começo de fevereiro eu apresentei para vocês o projeto Blogs fantásticos e onde habitam. O tempo passou super rápido, já estamos em março e é hora de declarar quais foram minhas postagens preferidas dos blogs que estão comigo nesse projeto.

Viletoria

No blog da Vi, minha postagem preferida sem dúvidas foi a trilha sonora de Donnie Darko! Esse sem dúvidas é um dos meus filmes preferidos, aquele tipo de filme que cê pode assistir mil e uma vezes e NUNCA se cansar, e sempre entender de um jeito diferente. A trilha sonora então, maravilhosa. E o post da Vi retrata tudo isso, se você nunca assistiu, corre lá no blog dela que tenho certeza que você irá se interessar.

Epílogo em branco

 Meu post preferido do blog da Ruby foi de fotografia, do famoso projeto 6 on 6, o tema da vez era caminho. Eu sei que sou suspeita pra falar sobre fotografia, minha paixão. Mas a Ruby mandou super bem e as fotos estão incríveis, dá vontade de estar no mesmo caminho que ela só pra poder ver a fotografia de perto.

Profano feminino 

  A Ane fez uma daqueles resenhas que você sente vontade de comprar o livro e começar a ler assim que o post termina. E por esse motivo a resenha de O que eu sei de verdade se tornou minha postagem preferida. Eu li o livro por conta dessa resenha e tenho certeza que você irá sentir vontade de ler também, mas eu não vou falar nada sobre o livro aqui, só digo uma coisa: vale a leitura. Para saber mais só ir no blog da Ane e conferir por si só!

Women rocker

 Eu sou a louca das tags, e a Karol respondeu a tag Oito coisas. E está incrível, é um jeito divertido de conhecer ainda mais a blogueira. Ela fala sobre seus oito livros que ama (Hush Hush e PJO estão nessa lista <3) entre outras coisas que ela ama e coisas para se fazer antes de morrer, tenho certeza que você irá concordar com os oito itens dessa lista! Mas pra saber isso só indo lá no blog da Karol!

 E foi isso pessoal, eu amei fazer esse post, atrasei um dia, mas tá valendo, prometo que em Abril não terá atrasos. Cada postagem escolhida foi de coração e juro, valem a pena dar uma conferida! Até a próxima!
 
© CAPRICATI © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. DESIGN E PROGRAMAÇÃO POR DESIGNLC. imagem-logo