quinta-feira, 29 de maio de 2014

PROJETO TALK: FOTOGRAFIA!

   Olá pessoal! Hoje o projeto vai falar de um assunto que eu amo, e amo muito: Fotografia. Na dúvida do que falar, escolhi falar um pouco de tudo, meus gostos, como comecei, minha câmera e coisas do tipo!
  É complicado estabelecer um ponto em que a fotografia passou a fazer parte dos meus dias, da minha vida. Eu sempre fui apaixonada por cores, formas e expressões, ansiava pelo dia em que poderia registrar tudo e qualquer coisa do meu jeito, da forma desejada por mim.
  Nasci na cidade grande, me apaixonei por São Paulo a cada vista, a cada esquina, seus prédios, seus defeitos e sua magia me despertavam ( e despertam até hoje) o mais puro sentimento de gratidão, gratidão pela selva de pedra que acolheu meus sonhos e planos mais mirabolantes, talvez por esse motivo é impossível eu não parar a cada minuto para tirar uma fotografia desse lugar que vive em constante mutação, provavelmente os prédios foram meus primeiros modelos, São Paulo e suas paisagens deram inicio a minha paixão em registrar momentos.
  Não cresci familiarizada com a natureza, acho que por esse motivo bate aquele desespero somente ao pensar em uma possível vida no campo, mas reconheço a beleza das flores e suas cores, os galhos secos ou não, tirar fotos delas sempre me fizeram imaginar estar fotografando fadas. (Nunca assistiram Barbie Fairy Tail?!)
  Fotografar pessoas sempre foi meu grande empecilho. Nunca sabemos a imagem que a pessoa tem de si mesma, as vezes um angulo que no meu ponto de vista favoreceu o individuo, pode desagradar o fotografado, e isso é tão complicado...
  Em questão de cenários, acho que assim como todos os fotógrafos, me encanto pela sutiliza da luz solar, os primeiros raios da manhã formam espetaculares fotografias, cheias de vida, contudo me desafio cada vez mais pelas sombras e mistérios da noite. Brinco com as formas e a escuridão se encarrega do resto.
  Um fotografo não é nada sem uma boa câmera, mas de nada adianta uma lente maravilhosa se a pessoa por trás dela não a domina completamente. As configurações de uma DSLR não são fáceis, mas com esforço todos podem conseguir aprender, conhecer a câmera que tem em mãos faz toda a diferença, particularmente eu passo horas vendo vídeo-aulas no youtube, e elas tem me ajudado bastante, mesmo tendo custado para a minha mente limitada entender as diferenças entre luzes, a hora de aumentar ou abaixar o ISO, contraste, saturação, matriz, exposição e etc.. Não que eu seja uma Expert no assunto, mas consegui aprender muita coisa e aos poucos as minhas fotos estão ficando do jeito que eu sempre desejei.
  A marca é importante, sim, temos o costume de procurar as de renome, o que faz a diferença na hora dos estudos, algumas máquinas não tão conhecidas são tão boas quanto as mais famosas, mas vídeos aulas e tutoriais diferenciados são difíceis de achar. Eu sempre me dei muito bem com os modelos da Nikon, atualmente estou satisfeita com a minha, uma Coolpix P520, ela não é tão cara (pouco mais de mil reais) e extremamente boa e fácil de usar.
  Editar fotos é natural, ajustar o corte, tamanho, desfoque e tantas outras possibilidades, mas a suavidade das imagens devem ser respeitadas. Existe uma linha tênue entre o belo e o exagerado. Abusar do contraste é perigoso, arriscado, uma fotografia com cores vivas é linda, mas se passar do ponto perde toda a naturalidade e a foto parece falsa. Se a foto não ficou tão boa, descartar e tentar novamente em outro momento é sempre a melhor opção.
  Sempre enxerguei a fotografia da mesma forma que enxergo a escrita: Pessoal e sensível. A arte de demonstrar sentimentos, lembranças e momentos, só que ao invés de letras, as imagens é que falam.
  Foi com esse pensamento que criei a página do blog no facebook. Se aqui as palavras domina, lá é o contrário, mas com um toque diferente e com outra paixão minha: As imagens em preto e branco. Na página o foco são os livros, cheios de quotes, eles são extremamente fotogênicos!
  Livros, animais, prédios, comida (haha), com o tempo fui me apaixonando pela forma de registar cada uma dessas coisas e deixar nelas o meu ponto de vista. 
  E vocês, gostam de fotografar?

(O projeto talk surgiu da ideia de um grupo de blogueiras amigas discutirem assuntos diversos, toda semana (ou sempre que der), estaremos falando sobre temas aleatórios, do ponto de vista de cada uma de nós, que temos personalidades e gostos distintos. As fotos lá em cima são de minha autoria, minha visão sobre a beleza daquilo que estamos tão familiarizados que deixamos notar sua preciosidade. Deixo aqui também uma pequena noticia sobre novidades que estão por vir aqui no blog, um projeto sobre livros, cores e fotográfias. E outro projeto fotográfico com as mesmas meninas do projeto Talk (Que logo logo vocês vão saber quem são!)


terça-feira, 27 de maio de 2014

Parceria: Segure minha asa / Marco Birkheuer.

    O gramatifiquei hoje está com uma novidade empolgante. Meu entusiasmo é tanto que nem sei que palavras usar ao falar da mais nova parceria do blog.
  É com encanto que digo que a parceria não é material, tão pouco com lojas de renome, mas sim com um blog, uma pessoa, gente como a gente, que foi além de palavras em um site e transformou e ordenou seus sentimentos e pensamentos transformando eles em um livro.
  O escritor brasileiro Marco Birkheuer, blogueiro no Voyager lançou seu livro recentemente, e minha honra em ler e transcrever minhas sensações para vocês é tamanha.
  Não irei me aprofundar em uma resenha agora, pois comecei a ler o livro ontem e infelizmente ainda não terminei, mas garanto:Não foi por falta de ânimo. Infelizmente a vida de gente grande nos priva de muita coisa, e ocupa nosso tempo bem mais do que gostaríamos.
  Mas o pouco que li foi o suficiente para despertar a minha curiosidade, o protagonista ainda é uma grande incógnita para mim, meus sentimentos por ele fluem em uma linha tênue entre carisma e desconfiança, mas ainda é cedo para julgá-lo, meu contato com ele e sua história ainda é recente, em cada palavra lida uma nova sensação, um misto de sentimentos divergentes. Sendo sincera com vocês: A leitura está tão gostosa! ♥
  Garanto que não vai demorar muito para uma grande resenha em cima dessa história surgir, a minha curiosidade é grande, por motivos óbvios vou me despedindo de vocês por hora, irei ali, terminar de ler uma grande história. Que tal nos aventurarmos juntos nessa? Conheça Segure minha asa! 

  Só para atiçar ainda mais a curiosidade de vocês:
  Sinopse: Simon Bacquet é um rapaz desacreditado por sua família em Vídel. O céu escurece, levando o seu irmão a uma importuna viagem ao Texas. Um Stalker raciona todos os medos vindos dos dois. Agora eles terão de contar com seus aliados, em uma luta entre a insanidade e o amor próprio, vestido por um veludo negro em uma energia que o faz voar para o infinito.
  Editora: CA
  Autor: Marco Birkheuer
  


Até mais pessoal. Beijos!

domingo, 25 de maio de 2014

A aventura perdida de Douglas Adams.

  Olá terráqueos! Como vocês estão? Antes de qualquer coisa, gostaria de desejar a vocês um feliz dia da toalha!
  Não sabe do que estou falando? Bom, lá vai uma pequena explicação, no dia 25 de maio é comemorado pelos fãs da série O Guia do Mochileiro das Galáxias, de Douglas Adams, o dia da toalha! Pois segundo ele, a toalha é um dos objetos mais importantes de um mochileiro e de tamanha utilidade!           Afinal, você pode utilizá-la como agasalho, como cobertor, como vela para descer em uma mini jangada, você pode umedecê-la e usar ela em um combate corpo a corpo, enrolá-la em torno da cabeça para proteger-se de emanações tóxicas, agitar a toalha em situações de emergência para pedir socorro, e naturalmente usá-la para enxugar-se com ela se ainda estiver razoavelmente limpa. Todavia, para Douglas Adams o mais importante é o valor psicológico da toalha. Por algum motivo quando um estrito (alguém que não é mochileiro) descobre que um mochileiro tem uma toalha ele automaticamente conclui que ele tem tudo e qualquer outro objeto, e caso ele não tenha, o estrito não se importará de emprestar alguma coisa, pois se um sujeito é capaz de rodar por toda a Galáxia e acampar, pedir carona, lutar contra terríveis obstáculos e ainda assim, souber aonde está a sua toalha, esse sujeito claramente merece respeito!
  Recado dado, vamos falar do assunto principal do post de hoje, que por ventura é sobre o genial Douglas Adams!
  Recentemente recebi um e-mail da Editora Objetiva sobre um livro escrito pelo Douglas em 1979.
  Para quem não sabe, Douglas era um dos diretores de roteiros da série Doctor Who. E o livro Shada conta um episódio que nunca foi transposto para a televisão. Que tal saber mais sobre esse livro? Só entrar no site da Editora Objetiva!
  O livro chegou para mim hoje mesmo, pela livraria Saraiva e logo mais farei uma resenha sobre ele! Mas antes disso, que tal ficar com ainda mais curiosidade e vontade de ler assim como eu? Vejam o book trailer!

  Espero que tenham gostado do post! Já leram o livro? Gostaram? Assistem Doctor Who? Quero saber de tudo!
  Beijos!
  



terça-feira, 20 de maio de 2014

Projeto "talk": Mania de ser diferente.

  “Nós podemos usar a roupa que quisermos, podemos dizer o que quisermos, podemos ficar com quem quisermos, a hora que quisermos. Somos donas do nosso destino e estamos aqui para sermos felizes e nos sentirmos bem. O resto, meus amores, é só opressão.”
  Se tem algo que pode me tirar do sério é a mania de superioridade, de achar que é melhor que a outra pessoa simplesmente por terem gostos divergentes, sendo sincera com vocês: Ninguém é melhor que ninguém.
  Esses dias vi uma postagem no facebook com a seguinte frase "Se uma mulher tiver mais livros do que sapatos, case com ela." E isso realmente me fez ter uma discussão intelectual comigo mesma. Sim, eu tenho mais livros do que sapatos, mas e daí? Isso não define caráter, isso define prioridades, e se a sua prioridade difere da prioridade de outros, não significa que você é melhor ou pior, não significa nada.
  O que eu vejo de garotas (principalmente) que se dizem diferentes mas que no fundo são iguais a tantas outras que só querem elogios e o sentimento de superioridade, como se a vida fosse uma competição, e ouvir rock ao invés de funk a tornasse melhor do que a garota da sala ao lado. Esses pensamentos são sem dúvidas os mais fúteis e inúteis que podem existir. A vida não é um jogo, e se for, jogue e se divirta por você, estar no topo do ranking de um jogo não significa nada no mundo real.
  Sim, eu tenho mais livros do que sapatos, eu prefiro um filme do que uma balada, eu não suporto funk e rock domina 90% da minha playlist, eu sou garota e jogo vídeo game, além de gostar de animes, super heróis e mangás, mas quer saber? Conheço centenas de garotas que também fazem exatamente as mesmas coisas que eu, que gostam das mesmas coisas que eu, e outras tantas, que não suportam nada disso. E quem é melhor? Ninguém.
  E ver garotas falando "Eu sou diferente" simplesmente para se sentirem melhores me faz perder a fé na nossa juventude. E o preconceito começa quando você se julga melhor por esses pequenos detalhes.
  A gordinha, a magrinha, a nerd, a popular, a feia, a linda, a que usa salto, a que não tira um all star do pé, a que tem tatuagens e a que não têm, a que tem cabelo colorido e a que mantem seus cabelos na cor natural, a lésbica, a bi, ou a hétero, a atéia, cristã ou agnóstica. Todas elas, eu, você, todas somos absolutamente iguais, somos seremos humanos, nossos gostos podem ser diferentes, mas não somos exclusivos, o que realmente no define e nos difere na sociedade são as nossas atitudes diante do outro. Você é altruísta? Você tem empatia? Sua consciência está limpa? Todos temos luz e trevas dentro de nós, sim, mas e qual lado tem poder sobre você?
  Não queira ser diferente dos outros, queira ser diferente do que você foi ontem, queira ser melhor do que o seu eu do passado. É a sua vida que está passando enquanto você está de olho nos gostos de outra pessoa.
  E me perdoem se eu ofendi alguém de alguma maneira, e garotos, o texto é focado nas meninas, sim, mas caso você tem a mania de querer ser diferente, pare com isso também, tá?
  E para encerrar tantos devaneios, aqui vai uma música que descreve a realidade: "Somos todos iguais, braços dados ou não."

(O projeto talk surgiu da ideia de um grupo de blogueiras amigas discutirem assuntos diversos, toda semana (ou sempre que der), estaremos falando sobre temas aleatórios, do ponto de vista de cada uma de nós, que temos personalidades e gostos distintos.)

domingo, 18 de maio de 2014

Nova série: The Flash.

  Olá pessoal! Hoje eu estou super animada por falar sobre essa nova série, pois isso é motivo de grande felicidade para mim! Mas vamos com calma, vou apresentar a grande novidade direitinho.
  Recentemente a The CW incluiu o Barry (Flash) na série Arrow, e deu tão certo que resolveram investir em uma série somente para o herói, segundo as informações que temos, The Flash será um spin off de Arrow.
  O Seriado contara a história de Barry Allen (Grant Gustin), ele era um funcionário da Polícia Científica que, ao sofrer um acidente, foi banhado por produtos químicos em seu laboratório e, em seguida, atingido por um raio. Foi a partir disso que ele começou a ser capaz de canalizar os poderes vindos do "Campo de Velocidade", e se locomover em altíssimas velocidades. Usando uma máscara e um uniforme vermelho, ele começa a usar suas habilidades para patrulhar Central City e descobrir quem foi o assassino de sua mãe.
  Como muitos sabem eu sempre fui muito fã dos heróis da Marvel, por isso nunca dei tanta bola assim para os heróis da DC, com exceção ao super man e ao Flash, claro. Acho que por isso minha empolgação foi tão grande.
  E quando anunciaram o ator meu coração quase saiu pela boca, o meu ator preferido foi cotado para fazer um dos meus heróis preferidos, como não amar essa novidade?
  Para quem não sabe, acompanho Grant desde sempre e tenho a sorte de ficar sabendo de seus trabalhos antecipadamente, e ainda tive a sorte de ter dois tweets respondidos por ele quando ele estava começando na série glee, que aliás é como a maioria das pessoas o conheceu, pelo personagem Sebastian de Glee, mas ele ficou conhecido mesmo por seus papéis em grandes espetáculos da Broadway. (Sim, esse cara tem talentos de sobra.)
  A estréia da série ficou para o segundo semestre nos estados unidos, espero que não demore muito para chegar ao Brasil.
  Enquanto isso deixo uma foto do Grant Gostosão Gatão Gustin como Flash, para vocês, assim como eu, suspirarem muito haha

   
  E ah, tem uma pequena novidade: Assinatura nova no blog, usarei essa assinatura de agora em diante. Em breve contarei para vocês mais novidades sobe o blog e projetos futuros!
  Um beijo!


sexta-feira, 16 de maio de 2014

Resenha: Sailor Moon (Mangá)

"Sailor Moon, vencendo o inimigo um a um, união, sem igual, o bem sempre vence o mal."
  É com extrema alegria que venho aqui hoje fazer uma resenha sobre algo que sempre fez parte da minha vida, só que de formas diferentes.
  Quando penso em minha infância, a primeira coisa que vem em minha cabeça são as manhãs e tardes assistindo televisão, e realmente me emociona em ver como isso me influência até hoje. Sailor Moon foi um dos primeiros animes que eu assisti (e sempre que posso, vejo até hoje) e ter a edição brasileira do mangá em mãos foi uma emoção muito grande, de verdade. 
  O lançamento do primeiro volume foi no dia 29 de março e o volume dois foi no dia 05 de Maio. Comprei ambos, o segundo em pré venda e eles chegaram na quarta-feira (14 de Maio), eu comprei os dois juntos pois fiz uma grande confusão quando uma das minhas melhores amigas me falou sobre o lançamento do mangá, acabei ganhando dois para resenha e comprando mais dois sem querer (o que não foi nada ruim, essa minha amiga amou os mangás.) Claro que corri para ler, li no trabalho, no ônibus, em casa, aonde deu, e terminei (rápido demais para meu gosto, quero os outros logo!!) E claro, aproveitei para tirar fotos dos meus novos preciosos, então vamos a resenha recheada de fotos como de costume?
  O mangá está extremamente fiel ao original, podemos perceber isso pois está praticamente idêntico ao anime. A história começa nos mostrando o lado atrapalhado da Usagi, e logo no começo a personalidade inocente, divertida e dramática dela nos é apresentada. Ela encontra a gata Luna logo nas primeiras páginas, nesse ponto tem uma pequena diferença entre o anime e mangá, no desenho animado ela salva a gata de garotinhos e no mangá mostra ela tropeçando e machucando a gatinha. Mas é um pequeno detalhe que nem fez tanta diferença assim.
  Com o passar das páginas, ela se transforma em Sailor Moon, e podemos conhecer também as outras garotas, cada uma com sua personalidade e especialidade: Ami (Sailor Mercury), Rei (Sailor Mars) e Makoto (Sailor Jupter). Conhecemos também o Tuxedo Mask, um homem de máscara e smoking que salva a Sailor Moon várias vezes, mas nos dois primeiros volumes não é possível saber se ele é vilão ou um guerreiro aliado junto as garotas. Para ser sincera, o mangá deu muito certo deixando ele neutro, pois apesar dele salvar a Usagi, percebesse que ele tem interesses individuais que não a envolve.
  O grande mistério que já surge no primeiro volume e segue no segundo é o Cristal de Prata, todos estão de olho nele. E também o garoto que aparece nos sonhos de Usagi.
  Os dois primeiros volumes contém muita informação, Sailor Moon é uma história que acontece muito rápido, em poucas páginas já começam e terminam grandes batalhas.
  Os nomes foram mantidos os originais, então se você assistia o anime na versão brasileira terá que se acostumar que Serena não existe mais, mas um ponto ainda mais positivo é que eles não deixam você se perder nos nomes, eles marcam no rodapé os nomes na versão brasileira, ou seja, não tem como você se perder na história.
  Infelizmente só foram publicado esses dois volumes por enquanto, mas os outros foram confirmados, e em meio a tantas novidades foi divulgado o lançamento do mangá Sailor V, que antecede a saga da Sailor Moon e tem  a Sailor Vênus como protagonista. ( Tanto o anime, quanto o mangá de Sailor Moon fazem referência a guerreira de Vênus.) Entretanto, o Sailor V só será lançado após os 12 primeiros de Sailor Moon.
  E eu sei que estou falando demais, mas é muita coisa boa acontecendo de uma vez só, se não bastasse o mangá versão brasileira ter sido finalmente publicado, em julho tem estréia do novo anime de Sailor Moon, eu não vou me estender muito nesse assunto, só vou falar que terá Munehisa Saka como diretor de animação (conhecido por trabalhos como One Piece, Pretty Cure e vários filmes da saga Dragon Ball), roteiro de Yuji Kobayashi (o mesmo de Cavaleiros do Zodíaco) e a nova animação de Sailor Moon não será um remake da versão antiga; e sim uma nova adaptação do mangá, recomeçando toda história, ou seja: novidades e mais novidades!
  E foi isso, espero que tenham gostado da resenha. Eu não costumo deixar especificações sobre número de páginas, preço e editora, pois o foco mesmo é a minha opinião pessoal, mas se quiserem mais informações é só clicarem nos links abaixo!
  Um beijo! 
(Informações gerais e agradecimentos ao blog Inforsfera pelas informações sobre o novo anime. Deseja comprar seu mangá ou saber mais informações? Venha aqui!)


terça-feira, 13 de maio de 2014

Projeto "TALK" : Tatuagem.

  Olá pessoal!
  Recentemente vocês viram aqui no blog (ou não) a minha primeira postagem sobre tatuagens, aonde coloquei meu ponto de vista sobre um corpo perfeito, quem leu a matéria pode perceber que eu sou totalmente a favor dessa arte feita em nossos corpos.
  É claro que em nossa sociedade o preconceito ainda é gigante, e as tatuagens são vistas como algo imaturo na maioria das vezes. Entretanto, ultimamente estão sendo criadas dezenas de campanhas por sites e revistas conceituados com o objetivo de limpar essa imagem, campanhas essas que mostram pessoas executivas e bem realizadas profissionalmente e idosos nem um pouco arrependidos com alguma (ou várias) artes pelo corpo.
  Sempre que eu declaro esse meu amor por tatuagens e descrevo a lista das que pretendo ter em meu corpo, surge um ser humano que em geral nem na conversa estava e diz "Mas e quando você ficar velha?", a reposta é simples: Serei uma senhora toda tatuada. Eu tenho sim a consciência de que as coisas mudam, de que nossos gostos se modificam com o passar dos anos, mas eu também me conheço o suficiente para saber que as coisas que eu amo, se tornam parte de mim, independentemente de um dia esse amor se transformará em admiração ou apenas uma lembrança de um passado distante.
  Desejo um dia olhar para todas as minhas tatuagens (a maioria que só existem nos meus sonhos, por enquanto) e enxergar o que eu já fui um dia, ver alguma tatuagem literária em meu corpo e não me lembrar de quase nenhuma palavra, se memória ficar tão falha ao ponto de não me lembrar nem mesmo do enredo principal, mas ter a consciência de que um dia, aquilo era uma das coisas mais importantes da minha vida.
  Sobre a profissão, eu graças a Deus trabalho em um lugar aonde tatuagens são permitidas, e sinceramente é só estudar um pouco sobre a gestão de negócios e as tendências sobre o mundo de trabalho e vamos perceber que em alguns anos, as tatuagens não serão mais um problema. E para mim, sinceramente, nunca serão. Eu sei o que quero e o que vou ser, todas as profissões que pretendo seguir me dão a livre opção de escolha em pintar meu corpo eternamente, caso não seja assim com você, outro ponto a ser questionado, as tatuagens são suas, não do mundo e nem para o mundo. Nem todas as tatuagens devem ou precisam ser vistas por aí, ou seja, não tem tantos empecilhos assim.
  Mas é claro, a tatuagem é algo eterno e deve ter um significado único para nós mesmos, e se você não gosta, simplesmente não faça, apontar o dedo para aquele que tem e insultar é fácil, mas pode gerar uma confusão tão, tão desnecessária, que realmente não vale a pena.
  Outro fator mega importante e que deve ser levado em conta caso você deseje fazer a sua tatuagem é: Não economize, vale muito mais a pena pagar caro em um trabalho de qualidade, afinal, a tatuagem vai estar sempre ali, pode ser removida, sim, pode, mas o processo é longo, dolorido e ainda mais caro. Doenças existem sim e pode acontecer de você se contaminar se fizer em um lugar não higienizado.
  Se você fizer tudo direitinho, seguir as recomendações do seu tatuador, e concluir uma arte em seu corpo que representa um pouco de você, não tem erro, sua tatuagem estará linda, não importa o que os outros digam. 
  Sua tatuagem é sua, ela é você.

(O projeto talk surgiu da ideia de um grupo de blogueiras amigas discutirem assuntos diversos, toda semana (ou sempre que der), estaremos falando sobre temas aleatórios, do ponto de vista de cada uma de nós, que temos personalidades e gostos distintos.)



sábado, 10 de maio de 2014

Hush Hush Brazilian Day!

  Olá anjos! Tudo bem com vocês?
  Infelizmente tive uns probleminhas e não consegui postar tudo que estava devidamente programado. A carta para o blog teve que ser adiada pois não queria que esse post demorasse ainda mais para sair, afinal, o evento aconteceu no dia 03 de maio. Mas que evento? O Hush Hush Brazilian Day, é claro! O evento foi criado pela Djenifer, blogueira no Acidamente sensível!
  Não sei se vocês sabem, mas Hush Hush é uma das minhas sagas preferidas. Eu não gosto muito de romances, pois prefiro ação, então quando encontrei uma série de livros que mistura ambos os gêneros de forma perfeita, me apaixonei, claro! E foi nessa saga que conheci um dos meus maiores amores platônicos literários (huahua), o eterno Scott mijão! ♥
  Apesar de um pouco longe (o suficiente para pegar até trem) o evento foi maravilhoso. Conheci bastante gente legal, os cosplayers estavam de parabéns, estava tudo tão perfeito!
  
"Um juramento sagrado, um anjo caído, um amor que não deveria existir."
Conhecer uma das suas blogueiras preferidas, não tem preço <3
Eu tenho uma entrada para o Delphic u.u
Ir ao encontro de Hush Hush e sair de lá com um colar de outra saga tão perfeita quanto! <3
Fiquei com ainda mais vontade de ler esse livro!
Ler sem óculos = Impossível </3
Saí do evento cheia desses livrinhos que mostram o primeiro capitulo ou uma parte da história, adoro!

Aumentei minha coleção de marca páginas com essas fofuras!


Marcie (Vulgo bitch/porca anoréxica haha) Patch e Nora. Maravilhosos!
Conheci tanta gente bacana, de verdade.
Hora de dar tchau! :)
  E foi isso anjos, já estou com saudade desse evento. Se vocês não leram os livros, recomendo. Em breve farei uma resenha deles aqui no blog, tá? Um beijo para vocês!


segunda-feira, 5 de maio de 2014

Sentimento do mundo: Inconstância.

 
  Ela tem uma aura especial, que te atrai como um imã e te puxa para mais perto, até que você se vê preso no olho do furacão que é o abraço dela. Ela é independente, rapaz. Sem dramas e sem show, ela gosta da liberdade e de sentir o vento em seu rosto. Ela não gosta de meio-termo. De meio-amor. De meio-romance. Ela espera que a você a complete a ponto de transbordá-la.   Ela tem um olhar voraz, e à primeira vista, você vai se sentir acuado. Mas logo em seguida estará pensando em quais serão os segredos que aqueles olhos e aquele meio sorriso escondem. Ela gosta do mistério. Ama o suspense que é não saber o que você encontrará na próxima esquina. Mas ela sempre está pronta para qualquer perseguição, e seu dom é se esconder. Em um piscar de olhos, ela está aqui. Em outro, você sente que a perdeu. Mas ela sempre volta. Ela não gosta de mudanças. Odeia rotina. Aprecia o acaso e não crê em destino. Porque ele pode mudar, rapaz. Tudo pode. E ela está sempre em constante mudança. E você não pode contê-la. Ela nasceu durante uma tempestade e sua natureza é essa: inconstante, catastrófica. Encanta e amedronta, e quando você se der conta, estará afundando no dilúvio, perdido naquele mar de confusões que ela trará à sua vida. Mas em questão de segundos ela te puxará lá do fundo e a tempestade vai acabar, rapaz. 
  E ela vai sorrir para você.
  E aí, sim, você estará perdido.







Sobre a autora: Seu nome é Aline Próvier, mas gosta de ser chamada de Allie. Cresceu agarrada em livros, e com o sonho de ter um de sua autoria um dia. É apaixonada por gatos e por música. Tem certa fascinação por estradas e florestas de pinheiros, e sonha em deixar tudo para trás um dia e viajar por aí de carro. Tem a mania de sonhar demais. Mas, se não fosse por isso, não encontraria inspiração nas coisas mais bobas, e nas pessoas mais especiais. Para conhecê-la melhor basta acessar o seu blog.
(Para ter seu texto no blog, basta clica aqui.)

quinta-feira, 1 de maio de 2014

look do dia: meu caminhar livre.

   Em geral eu não costumo tirar fotos de looks em lugares externos por motivos de que não tenho tanta paciência assim. Mas hoje eu estava passeando com minha irmã, assim como quem não quer nada, rs, e ouvindo a música da Bruna Caram no caminho me trouxe inspiração.
  Afinal, como ouvir uma música tão linda sobre São Paulo e estar ali, no coração da cidade e não se apaixonar pela vista, pela vida?
  "No arquiteto o dom da criação, mostra o lado bom da criação, beco escuro em mim vira amplidão, faz meu caminhar livre"♫ 
   Mas chega de enrolar né? Que tal vocês conferirem as fotos?





  Bom meninas, eu usei esse look para andar por aí mesmo, por isso não está tão elaborado, coloquei uma meia calça e uma blusinha pois esfriou um pouquinho e também porque o vestido é todo rendado e sem alguma coisa mais "pesadinha" no look ele ficaria delicado demais e isso não combina muito comigo. E essa botinha/coturno é o amor da minha vida nesse frio, adquiri ela recentemente então se preparem para vê-la em vários outros looks!
  Vestido C&A: R$89,90
  Jaqueta de vinil Black Roses: R$90,00
  Bota: Fock Store: R$75,00
  Meia calça Endossa: R$25,00
  
  E é isso pessoal, o que acharam do look? Desconsiderem a minha cara nas fotos, tá? haha
  Beijão!

© CAPRICATI © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. DESIGN E PROGRAMAÇÃO POR DESIGNLC. imagem-logo